Infestação de Piolhos e Parasitas de Penas

 


Problema que muito afeta os pássaros domésticos, trazidos, principalmente por pardais, pombos e galinhas.

Autor: Aloísio Pacini Tostes


 

INFESTAÇÃO DE PIOLHOS E PARASITAS DE PENAS 

Problema que muito afeta os pássaros domésticos, trazidos, principalmente por pardais, pombos e galinhas. Provoca intenso sofrimento nas aves.

Os sintomas são: a ave fica coçando o corpo, desesperadamente. Em geral, à noite, quando se acende a luz, pode perceber-se muito bem. O piolho movimenta-se muito, sai do pássaro durante o dia (aloja-se nas frestas da gaiola) e volta com o entardecer.

As penas ficam retorcidas e o pássaro pára de tomar banho. Deve-se tomar todo o cuidado para não haver infestação de piolhos ou outros tipos de parasitas na época da reprodução, porque prejudica muito os bons resultados da criação.

Os piolhos nem sempre são visíveis a olho nu, pois existem aqueles do canhão das penas que terão que ser vistos no microscópio. Os maiores, para vê-los, basta que se bata o poleiro de dormir em uma superfície plana e clara.

A profilaxia é a higiene, a quarentena, o exame constante das aves e não  deixar que pardais entrem no ambiente.

A terapia mais usada e menos traumatizante é a seguinte:

retirar o pássaro para dar um banho de inseticida na gaiola;
borrifar inseticida na ave ou dar banho;
limpar com desinfetante o ambiente onde fica a gaiola
passar o poleiro de dormir do pássaro na chama de fogo.

Muitos criadores utilizam também em grandes ambientes de reprodução, 5ml de vinagre em um litro da água de banho, duas vezes por semana, quando houver efetiva ameaça da infestação.