Incubadoura de Construção Caseira

 


Basicamente, trata-se de uma caixa feita de madeira (contraplacado prensado) com uma porta que é ao mesmo tempo uma janela para o interior da incubadora (a janela é de acrílico).

Autor: Alberto Nunes 


 

Incubadoura de Construção Caseira

A função principal para a qual o meu amigo Custódio Lopes construiu esta incubadora foi a de manter as crias que se pretendem criar à mão aquecidas (poderá ver o aviário e algumas aves deste meu amigo na secção Bastidores) mas, poderá também ser utilizada para chocar os ovos.

Basicamente, trata-se de uma caixa feita de madeira (contraplacado prensado) com uma porta que é ao mesmo tempo uma janela para o interior da incubadora (a janela é de acrílico). O interior da caixa fica perfeitamente isolado quando está fechada, o que permite manter a temperatura desejada no seu interior, mesmo nos dias mais frios. Para atingir este objectivo, toda a caixa foi "assemblada" com borrachas e silicone e, a porta também contém borracha que proporciona uma vedagem eficaz quando fechada.

Pela imagem 1 é possível ver que existe um tabuleiro no fundo dividido em 4 com um recipiente no meio. É neste tabuleiro que se colocam as crias e, no recipiente, coloca-se logo a comida, de forma que as aves tenham sempre alimento à disposição para que se sintam incentivadas a comer sozinhas. Este tabuleiro é tipo gaveta, que sai totalmente da caixa, permitindo retirar todas as crias de uma só vez e assim alimentá-las ao mesmo tempo, sem que tenha que se estar a abrir e fechar a incubadora várias vezes. Para alimentar as crias basta abrir a incubadora, retirar o tabuleiro e consequentemente as crias, fechar a incubadora para que esta mantenha a temperatura, dar comer às crias o mais rápido possível e voltar a colocar o tabuleiro e as crias de volta na incubadora. Na imagem 1 e 4 é também possível ver uma pequena divisão que fica por cima do tabuleiro do fundo. Essa divisão é a "casa das máquinas", que explicarei mais à frente. É também possível ver pela imagem 1 a existência de 2 orifícios na parte inferior da porta/frente da incubadora, sendo por aí que entra o ar que vai renovar o oxigénio dentro da incubadora.

Na imagem 2 podemos ver o orifício que controla o fluxo de ar que sai da incubadora. Este pode ser mais ou menos aberto, consoante o número de aves que se encontram no interior (para poucas aves, mais fechado, uma vez que o ar no interior aguenta mais tempo, para muitas aves, mais aberto, para que o fluxo de ar seja maior e não falte oxigénio no interior). Este sistema encontra-se num dos lados da incubadora e situa-se ao meio da pequena divisão superior do interior ("casa das máquinas").

Na imagem 3 pode ver-se o termómetro digital que indica e controla a temperatura do interior da incubadora. o termómetro situa-se num dos lados da incubadora. O termómetro situa-se ao meio da pequena divisão superior do interior ("casa das máquinas").

Como se pode ver pela imagem 4, a divisão superior contém aberturas que permitem a circulação do ar entre as duas divisões. Na imagem5 e 6 pode ver-se que a parte inferior dessas aberturas (a parte do lado do tabuleiro das crias) se encontra tapada por uma substância filtrante (neste caso, lã de vidro, como a que se utiliza nos filtros dos aquários) de forma a permitir que o ar do interior se encontre isento de poeiras.

É também possível ver, pelas imagens 5 e 6, que existe um fio azul que entra na divisão do tabuleiro das crias vindo da divisão superior. Esse fio azul é o sensor da temperatura do termómetro que faz a monitorização da temperatura na divisão das crias.

Um componente bastante importante é o que se pode ver na imagem 7. Trata-se da resistência que gera o calor no interior da incubadora. Esta resistência é em tudo semelhante a um fio eléctrico. É revestida de plástico e, mesmo após várias horas a aquecer não queima ao toque, o que permite evitar acidentes com as crias que, desta forma, podem ficar várias horas em contacto com a resistência sem se queimarem.

Finalmente, temos a "secção das máquinas", como se pode ver pela imagem 8. Trata-se da divisão superior e é onde se encontram as ligações eléctricas e a ventoinha (de um computador) que gera o fluxo de ar no interior da incubadora.

Como funciona então todo este aparato?!

Basta memorizar no termómetro (imagem 3) a temperatura que se quer manter no interior da incubadora. O sensor do termómetro (imagem 5 e 6) controla essa temperatura e, se a temperatura é a escolhida, a resistência é automaticamente desligada, caso contrário, a resistência permanece ligada até que a temperatura interior atinja o nível desejado. É também importante salientar que a ventoinha funciona ininterruptamente de forma a garantir que o ar seja sempre oxigenado, caso contrário, o aquecimento e a respiração das aves poderia elevar o nível de dióxido de carbono no interior a níveis perigosamente elevados.

Neste caso, todas as peças e ligações eléctricas foram feitas por um electricista nosso amigo.

No caso de se querer utilizar a incubadora para chocar ovos, será necessário colocar um copo com água dentro do recipiente da comida de forma a garantir alguma humidade no interior, e virar os ovos no mínimo 2 vezes por dia (pode variar consoante a a espécie a chocar).

 

 

1 - Vista geral do exterior

2 - Faixa de controlo da ventilação

3 - Termómetro digital que controla temperatura interior

4 - Vista geral do interior

5 - Sensor do termómetro

6 - Filtro do ar

7 - Resistência

8 - Ventoinha de ventilação